quarta-feira, 27 de maio de 2009

Menos uma estrela que brilha no céu, e mais um falhanço que se acumula à experiência de vida. Uma coisa simples, uma coisa inofensiva... Um falhanço descomunal. Aparentemente quem é optimista e tenta sempre ajudar acaba sempre lixado e comido, e não há nada que o valha, senão a solidão interior.

Menos uma estrela, menos um apoio, menos uma motivação... Onde vai ele a seguir? Ninguém sabe. É desta que vai para a cova? Não, porque o céu estrelado ainda vive, embora ele próprio viva cada vez menos...

sábado, 23 de maio de 2009

Sete meses já la vão, mas há coisas que não mudaram. A questão é que se não mudarem, sete meses não voltaram a chegar.